quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Agora sim

Emilio Vedova
























agora sim
sei onde a asa
sei onde o verde
sei onde a xícara
se guarda
muito além da fumaça
a que se reduz
o destino
velho relógio
sobre o aparador
telefone antigo e mudo
teu corpo
do qual se tira
pequena poção de mágoa
teu corpo
beijado por chuva de meteoros
e coquetéis molotovs
teu corpo
do qual se alivia
peso volume densidade simetria
agora sei onde
cai o teu corpo
quando meus braços falham
a palavra que se retira
a bisturi
do céu da boca
queima
queima
queima
os pés pisando em ovos


Nenhum comentário:

Postar um comentário