terça-feira, 10 de setembro de 2013

Estado do Estácio

Escadaria do Morro de São Carlos, na década de 1930 , fotografada por Augusto Malta.











Passava Damião Experiência
com sacola cheia de remendos
catando sons e ruídos no chão.
Da Adega dos Amigos e Lordes do Estácio
víamos os seus cabelos aos gritos.
Havia conhaque bem vagabundo,
e a vida era besta
apesar da lua ausente.
Heitor dos Prazeres, Ismael Silva,
Moreira da Silva, Luiz Melodia e tantos outros
dançavam no meio do Largo do Estácio.

Com as pernas calibradas
de álcool em dose insuficiente
para aguentar o rojão,
eu subiria a Machado Coelho,
viraria à direita,
direto aos peitos
das meninas do Mangue.
Depois de dez cruzeiros
e cinco minutos,
mulher de bobes no cabelo
e fotonovela nas mãos,
com pernas abertas de má vontade,
resmungaria amorosamente
“Anda logo moleque!
Você não tem grana pra exclusividade”.

Sairia manchada
minha fama de bamba
rumo à rua Maia Lacerda.
Mas o Estácio,
o velho e amado Estácio
logo logo me salvaria:
“cortar o cabelo
que a noite soberana
vai trazer a lua do samba”.



Nenhum comentário:

Postar um comentário