quarta-feira, 16 de abril de 2014

Dez toneladas de tempo


















Guardava a porta
linha imaginária
sobre a qual pássaro
de indecisão
se encorpava
incorporando
o canto aos acordes
da chuva ácida.

A linha imaginária
separava o verniz
dos sapatos
em dois hemisférios
tomados de poeira
até a altura dos joelhos
- polos brilhantes
à espera da salvação.

Mãos inseguras
seguravam a serpente
de fogo
que escapava
da sombrinha chinesa
para incendiar o leme
sem se importar
com a direção do vento
a intensidade da chuva
a velocidade da água
que invadia as fissuras da travessia.


Um comentário:

  1. Travessia atravessada por belíssimas imagens e aliterados sons!

    Beijo

    ResponderExcluir