segunda-feira, 25 de março de 2013

Visita inesperada

 
 


 



















   Para Heloisa Levicovtz

Veio a morte
por uma calçada úmida,
peitos fora da capa
e uma sombrinha encarnada.
Leu a tabuleta na entrada,
empurrou a porta dupla
já sem luvas
largou a bolsa larga
e molhada
aos pés da escada.

Incompreensíveis palavras
amaldiçoaram a chuva
e o frio lá fora.
A dama solitária
cultivava rosas e risos,
os cílios de cinzas alongavam
sombras móveis a dançar
todos os ritmos da felicidade
nas paredes.

Levaria em breve
os mais leves e velozes
dançarinos;
contrabando de cordas e calor
para o outro lado do samba.




Nenhum comentário:

Postar um comentário